segunda-feira , 21 agosto 2017

Home » Blog » Berrics recebe visita de projeto social liderado por brasileiro

Berrics recebe visita de projeto social liderado por brasileiro

Publicado Em: 10/10/2013 12:52


Next Up Foundation visita The Berrics (Divulgação)

Next Up Foundation visita The Berrics (Divulgação)

Nessa semana o site The Berrics publicou o vídeo da visita dos skatistas do projeto social Next Up Foundation. Esse projeto é uma iniciativa do skatista profissional paulista Vinícius Tinoco, que mora na Califórnia à alguns anos. Em 2011 o entrevistei para o site da ESPN Brasil. E caso você não conheça a história de Vinícius e do Next Up, colei aqui nesse post:

Vinicius Evaristo Tinoco é natural de Ribeirão Preto, interior de São Paulo, e entre 1996 e 2006 foi um dos principais nomes do skate na região, seja como skatista amador ou promotor de eventos com a InterSP. O skatista também foi voluntário do projeto de skate na Fundação CASA, liderado por Sandro Testinha, onde usavam o skate como ferramenta de inclusão social.
Em 2006 ele recebeu o aval da confederação brasileira de skate para se profissionalizar e mudou-se para os EUA. O objetivo era construir uma carreira entre os dois países, mas o plano não deu certo. Uma lesão no joelho o tirou da cena por meses, fazendo o sonho de viver do skate ficar mais distante.
Mas, em 2009, Vinícius realizou outro sonho. Concretizou seu projeto “Next Up Foundation” na Califónia, uma ação social utilizando o skate para que os jovens não usem drogas e nem entrem para a vida do crime.

Você se profissionalizou em 2006 e logo na sequência foi morar nos EUA. Porque essa escolha?
Eu tinha a ideia de vir para os EUA, andar bastante de skate e divulgar o máximo possível meu nome no Brasil. Mas infelizmente as coisas não andaram como eu planejei e então, na real, não consegui construir uma carreira. Não consegui andar o tanto que planejava devido a ter que trabalhar pra pagar aluguel, comprar comida, enfim, para me sustentar. Quando você mora no Brasil e pensa em vir para os EUA, você pensa de certa forma, quando você chega aqui a realidade é outra. E pra ‘melhorar’, sofri duas cirurgias no joelho direito, que me tirou da cena por bastante tempo. Mesmo assim eu decidi ficar pelo simples prazer de andar de skate aqui.

Como andam suas sessões?
Ultimamente, andado de skate pouco, pois a Next Up Foundation está tomando todo meu tempo. Fora isso, tenho que trabalhar para pagar as contas. Porém, quando ando, ando na pista do projeto ou na pista aqui de Costa Mesa. Ultimamente tenho andado na Stoner com o (Andre) Genovesi e rolou até umas sessões no Berrics. Sair pra filmar, nunca. Nunca filmo! Sempre andando por diversão mesmo!

Conta sobre seu projeto, o Next Up.
A Next Up Foundation foi fundada legalmente em 2009. Em 2010 foi o ano em que começamos com as atividades que acontecem nas dependências da “Boys and Girls Club”, da cidade de Anaheim, na Califórnia. Antes de me mudar para Califórnia, em 2005, eu era voluntário do projeto Skate na CASA – antigo Skate na Febem – fui convidado pelo Sandro Soares Testinha. Dei a notícia pra ele que estava me mudando e ele ficou muito feliz por mim. Também disse a ele que um dia eu iria fazer o mesmo programa aqui. Depois de três anos de adaptação, fundamos a Next Up, um projeto que combate o uso de drogas, violência, vícios, fome, pobreza e estimula a prática de esporte, educação, lazer e cultura. Extremamente voltado para comunidade carente.

O que é Boys and Girls Club?
Boys and Girls Club é uma fundação não governamental, sem fins lucrativos, espalhada pelos EUA todo. E não havia uma forma melhor para nós começarmos nosso projeto. Muito obrigado a Jessica Knopp, que foi a mulher que nos colocou lá dentro!

Como funciona o Next Up?
Por enquanto, toda terça-feira. A ideia é estimular a molecada a treinar ollie pulando algumas caixas que colocamos espalhadas pela skate park. Cada caixa representa um problema que temos na vida, e conforme eles pulam as caixas, eu digo a eles que já estão aptos a lidarem com aqueles problemas na vida deles. Coisa que também fazíamos no projeto Skate na CASA. Nós não ensinamos ninguém a andar de skate. Damos dicas e só. Skate se aprende sozinho! Como nas nossas vidas, certo? Ninguém tem um treinador para ensinar como viver. Você aprende algo com seus pais, avós, com os amigos, pessoas mais velhas. Mas chega um certo ponto que é você por você. Ninguém vai estar lá para te dizer como “pular” aquele problema ou situação que você está vivendo. Você precisa simplesmente “pular” e seguir em frente! O mesmo acontece quando a molecada está treinando ollies sobre as caixas. Skate imita a vida e vice-versa!

Quem está bancando o projeto?
O projeto é bancado por todo mundo que reconhece ser um bom projeto! Todos os skatistas profissionais que já visitaram o projeto doaram diversas coisas. Billy Marks, Tony Tave, Fabian Alomar, Carlos de Andrade, Danilo do Rosário, Danilo Cerezini, Felipe Gustavo, Vitor Borger, Pedro de Paula, Gustavo Graf, Rodrigo Petersen, Richard Jefferson, Fabrizio Santos, Andre Genovesi, eu mesmo, e fora nossos amigos pessoais que doaram dinheiro para nós pagarmos as taxas para o governo legalizar nossa ideia!

Algum órgão governamental apoia o Next Up?
Até agora, não.

De onde vem a motivação pra trabalhar com causas sociais?
A motivação vem da minha infância mesmo. Nasci e cresci em um bairro bem pobre e violento de Ribeirão Preto. Porém, comecei a andar de skate aos 12 anos de idade e nunca parei. O skate me mostrou um mundo diferente e me fez um cidadão do bem. Acredito que se o skate fez isso pra mim, pode fazer o mesmo para muitas pessoas. Então, porque não passar isso adiante? Outra coisa que facilita também, é minha paixão por crianças e adolescentes. Eu me identifico muito com elas!

O Next Up foi inspirado no projeto do Sandro Soares, da Fundação CASA. Como você se sente vendo o Governo do Estado de São Paulo desativando o projeto?
Eu acho legal esse lance de concurso público para diminuir o “cabide de empregos” que acontece no Brasil. Porém, num país que se dá um “jeitinho” pra tudo, não dar um “jeitinho” no caso do Sandro é bem frustrante, pra mim. O meu programa aqui na Califórnia é baseado no programa do Sandro, ou seja, o programa que o Sandro desenvolveu é muito poderoso. Tão poderoso que se extendeu pra Califórnia! Mas a natureza é perfeita, talvez seja o momento do Sandro expandir e explorar novos horizontes! Tenho certeza que o programa “Manobra do Bem” não termina por aqui. A missao continua!

Você mantém intercâmbio com outros projetos sociais?
Ainda não. Porém, acontecerá num futuro não distante.

Quais seus planos futuros? Planeja voltar ao Brasil e continuar o projeto por aqui?
Construir nossa própria skate park com uma estrutura descente, para que possamos ajudar o máximo de crianças e adolescentes possível, estimulando a prática de esporte e educação. Porque sem educação não se chega em lugar algum! Com certeza penso em extender o programa para o Brasil, com as pessoas certas, na hora certa!

Para assistir a visita do projeto: http://theberrics.com

FRETE_GRATIS_500X200

Berrics recebe visita de projeto social liderado por brasileiro Reviewed by on . [caption id="attachment_7033" align="aligncenter" width="460"] Next Up Foundation visita The Berrics (Divulgação)[/caption] Nessa semana o site The Berrics publ [caption id="attachment_7033" align="aligncenter" width="460"] Next Up Foundation visita The Berrics (Divulgação)[/caption] Nessa semana o site The Berrics publ Rating:
asfalto-01
Voltar ao Topo